Categorias

Aproveite o post

Como pedir vinho em Restaurante. 10 dicas para pedir vinho como um profissional!
Harmonizando

Como pedir vinho em Restaurante. 10 dicas para pedir vinho como um profissional! 

Neste texto, separamos algumas dicas ótimas para quem está iniciando no mundo dos vinhos. Se você já foi a um bom restaurante e se sentiu perdido em meio à carta de vinhos ou, até mesmo, ficou sem saber como agir em frente ao sommelier, não se preocupe! Depois de ler estas dicas, você pedirá vinhos como um profissional. Conseguirá acertar nas escolhas e não correrá mais o risco de cometer uma gafe.

 

O que escolher primeiro: o vinho ou a comida?

Quando você se senta à mesa em um restaurante, normalmente, lhe são entregues o cardápio e a carta de vinhos. Surge então a dúvida: devo escolher primeiro o vinho ou a comida?

A etiqueta diz que devemos dar preferência à comida, para então escolher o vinho. Isso porque, se você está em um restaurante, a prioridade é comer, portanto o prato deve ser escolhido antes. Uma vez que você fizer a escolha do prato, terá uma visão mais clara sobre qual tipo de vinho deverá pedir para harmonizar com a refeição.

Mesmo assim, caso você esteja com muita vontade de tomar algum vinho antes do prato chegar, uma boa dica é optar por uma tacinha de espumante. Pois o espumante possui a tipologia que menos interfere na degustação de outro vinho. Assim, quando a comida chegar, poderá pedir um vinho que harmonize com o prato, sem bagunçar o paladar.

 

Leia a carta de vinhos com calma

Quando receber a carta de vinhos, não tenha pressa, se permita passar algum tempo avaliando as opções. Se você já está familiarizado com alguns vinhos, leia a carta com calma, procure identificar as vinícolas que conhece e das quais você gosta, as uvas que mais aprecia ou até mesmo os vinhos das regiões que você costuma provar. Fique à vontade para pedir mais informações e esclarecer dúvidas quanto às safras, regiões e produtores com o sommelier antes de fazer sua escolha.

 

Qual a culinária do restaurante?

Se você é um iniciante no mundo dos vinhos e não tem a menor ideia de qual vinho pedir, uma boa dica é procurar analisar a culinária do restaurante. Se você estiver em um restaurante francês, que tal experimentar e pedir um vinho francês? Da mesma forma, se você estiver em um restaurante italiano, vale pedir um vinho italiano. Caso o restaurante não possua uma culinária específica, depois de escolher o prato, você pode pedir dicas ao sommelier para harmonizar a refeição.

 

Procure harmonizar o vinho e a comida

Quando o assunto é vinho, a grande questão é a harmonização. Neste caso, harmonizar significa combinar o prato e o vinho. A ideia é fazer com que os sabores se complementem. A bebida não deve competir com a comida, mas realçar o sabor da refeição.

Há também a harmonização com o intuito de combinar a bebida com a ocasião em que é servida, seja um momento de degustação à beira da piscina, na praia, em um piquenique, até mesmo um momento de celebração, comemoração de aniversário, promoção no emprego, ano novo, entre outros.

De modo geral, pode-se dizer que harmonizar é a arte de combinar os sabores dos alimentos com as características dos vinhos, procurando a parceria ideal que crie uma experiência agradável aos sentidos.

 

Tipos de vinhos

Para cada prato, existe um vinho que é um excelente acompanhamento. Tenha em mente a seguinte regra: vinhos encorpados pedem comidas encorpadas e vinhos leves pedem comidas leves. Confira, abaixo, algumas dicas de harmonização para escolher o vinho:

Tinto – combina com carnes de tipos variados

Branco – combina com peixes e frutos do mar

Rosé – combina com frango e massas

Vinho do Porto – combina com frutas secas, bolos, queijos azuis e sobremesas

Espumante – combina com queijos de massa branca, entradas e aperitivos, peixes defumados, carne de porco e aves assadas

 

Peça orientação ao sommelier

Ao abrir a carta de vinhos, se você não estiver familiarizado com os rótulos, não tenha medo de pedir orientação ao sommelier. Afinal, ele é o melhor conhecedor da carta e do menu do restaurante e está lá para esclarecer dúvidas com relação às bebidas.

Peça sugestões, dicas de acompanhamento para o prato escolhido, diga o estilo de vinho que está acostumado a beber, as características de sua preferência e a sua disposição financeira. Isso tudo é importante para que ele consiga indicar um rótulo que você aprove e, o mais importante, que harmonize com a comida.

 

Taça ou garrafa?

Às vezes, você pode ficar indeciso quanto a pedir uma taça de vinho ou uma garrafa inteira. Para auxiliar a escolha, deve-se levar em consideração a sua preferência, a de seu acompanhante, as variedades e restrições e, é claro, os valores.

Se você e seu acompanhante possuem as mesmas preferências com relação à bebida, pode ser mais interessante optar pela garrafa. Em contrapartida, se vocês possuem preferências divergentes, talvez seja melhor que cada um peça uma taça de vinho.

Normalmente, a taça é mais barata que a garrafa e possui menos restrições. Caso queira experimentar diferentes vinhos, você pode pedir uma taça como aperitivo e depois, quando o prato chegar, outra traça de outro vinho que combine com a refeição.

 

Degustação do vinho

Se optar pela garrafa, assim que pedir o vinho, o sommelier deverá fazer a apresentação do rótulo para confirmar a sua escolha. Para isso, ele deve segurar a garrafa na altura de seus olhos e mostrar o rótulo. Você deve conferir se esse é realmente o vinho que escolheu e confirmar a abertura da garrafa para a prova. Caso tenha optado pela taça, é bem possível que o vinho já esteja aberto, vedado com uma rolha a vácuo, para não oxidar.

Ao abrir o vinho, o sommelier deverá lhe entregar a rolha. Deve-se verificar se a rolha está molhada, indicando que a garrafa fora guardada deitada, ou seca, indicando que a garrafa fora guardada em pé, podendo ter oxidado o vinho com mais facilidade.

Verifica-se também se a rolha possui uma coloração diferente ou se exala um cheiro de mofo, indicando que o vinho está contaminado por algum fungo. No entanto, não tenha vergonha de simplesmente agradecer por receber a rolha sem precisar cheirá-la e deixar que ele prossiga com o serviço.

Em sequência, será feita a prova do vinho. O sommelier poderá experimentar uma dose mínima da bebida e realizar a prova do vinho ele mesmo, ou passará a responsabilidade da prova para você. Neste caso, ele colocará uma pequena quantidade da bebida em sua taça.

Você deverá girar a taça e avaliar o aroma, verificando se está normal ou com um odor de oxidação, a temperatura, verificando se está muito quente com o álcool muito acentuado, e tomar um pequeno gole. Com a aprovação, o vinho é servido normalmente. 

 

Em que casos dispensar ou pedir a troca do vinho?

Você só deve recusar ou pedir a troca do vinho caso ele apresente algum defeito. Basicamente, quando estiver contaminado por fungos ou oxidado. Se o vinho estiver perfeitamente bom, mas não for compatível com seu gosto pessoal, você poderá até trocar o rótulo por outro, mas será cobrado pela garrafa que foi aberta.

 

Caso não tenha gostado do vinho

No caso de já ter aberto a garrafa, experimentado o vinho e realmente não ter gostado dele, uma boa dica para evitar jogar fora o vinho é pedir para o sommelier guardar a garrafa já aberta para você levar para casa no final da noite e pedir outro rótulo para acompanhar a refeição.

 

Outro prato, outro vinho

E uma ótima dica é procurar harmonizar todas as refeições. Caso você peça diferentes pratos, que tal pedir diferentes vinhos? Assim, poderá experimentar vários rótulos e várias combinações.

Se você ficou animado para colocar as dicas em prática, que tal escolher um restaurante no guia do aplicativo Duo Gourmet? Baixe gratuitamente o aplicativo na Google Play ou na App Store, assine e aproveite!

Quer mais dicas?

Veja também, Vinhos e Comida: 8 dicas para uma harmonização perfeita

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *