Categorias

Blog Post

Receita do sucesso: amor pelo negócio!
Novidades Duo

Receita do sucesso: amor pelo negócio! 

O Duo Gourmet começou em 2013 e, de lá para cá, foi conquistando o coração dos amantes da boa gastronomia. Então, inspirados num programa de fidelidade de uma empresa de turismo, Laura e Nilson, fundadores da empresa, expandiram as possibilidades e levaram o amor pela comida à outro nível. 

De Belo Horizonte para o Brasil, o Duo tem espalhado a ideia de compartilhar experiências através da culinária: um guia dos melhores restaurantes com o benefício de compre um, ganhe outro. Mas quem melhor para contar essa história do que nossos fundadores?

Eu sou Carol Prado, produtora de conteúdo no Duo Gourmet, e conversei com Laura e Nilson na sede do Duo, em BH, para explicar melhor como foi esse processo, da primeira ideia até o produto que conhecemos e amamos. Um spoiler: eles também são usuários assíduos! Você pode acabar esbarrando com eles em um restaurante parceiro.  

Laura e Nilson no evento Duo Lovers em Belo Horizonte

 

Carol: Como surgiu a primeira ideia para o Duo Gourmet? 

Nilson: A primeira inspiração para o Duo veio através de um programa de fidelidade de uma agência de turismo. Eu viajei por essa agência com a minha mãe. Essa empresa tinha acabado de lançar um “passaporte gastronômico”. 

Eram seis vouchers que davam direito ao benefício de um prato de cortesia E eram só restaurantes bons, que eu mesmo não tinha tido acesso à eles ainda, não conhecia e tinha vontade de ir. Então eu falei com a minha mãe “olha, agora dá para gente ir, são restaurantes bons, e um prato eu já consegui por causa da agência”. 

Então, passou um determinado período, eu não viajei mais por essa agência, não ganhei mais esse programa de fidelidade e fiquei com aquela pulga atrás da orelha. “Se existisse hoje um programa disso, eu compraria como cliente”. Eu vi bastante valor no produto.

Carol: E a ideia ficou na cabeça?  

Nilson: Sim. Só que na época eu empreendia com outras coisas. Assim, eu e Laura tínhamos acabado de nos conhecer, uns seis meses de namoro, e ela não estava satisfeita no trabalho que ela estava. Então eu falei “olha, tenho uma ideia e tenho muita vontade de executar. Ao invés de procurar outro emprego, você não topa empreender junto comigo?”. Aí ela topou. (Risos). 

Laura: Foi bem por aí. Acho que eu sempre tive o desejo de empreender e nunca tinha tido uma ideia boa. Mas quando o Nilson me falou sobre essa possibilidade, num primeiro momento eu falei não. Mais pela questão da proximidade, do envolvimento pessoal que a gente tinha. Mas a ideia em si, eu sempre achei ela muito boa. No fim eu acabei topando.

A única bandeira que eu levantei foi: se o valor cobrado por esse produto fosse um valor que a pessoa recuperasse rápido, que o investimento fosse bom, com certeza teria tudo para dar certo. 

E como a gente gostava para caramba de frequentar bons restaurantes e tudo, também seria uma coisa que beneficiaria a nós mesmos, então seríamos grandes usuários do produto. 

Carol: Quando foi a hora que você decidiram “vamos colocar isso em prática agora!”?

Laura: Foi logo depois dele fazer o convite. Foi o processo de eu pedir demissão, a gente começou a colocar os detalhes no papel… Não tinha nome, não tinha modelo de produto, não tinha modelo de negócio né… 

Realmente foi fazer ali um plano para que a gente conseguisse montar a empresa do zero. Como é que vai ser? Vai ser um guia? Qual formato? Qual periodicidade? Quais os pontos de venda? Como vamos fazer a divulgação? Como vamos comunicar o produto? Fizemos o plano de negócio e vimos um potencial muito grande. 

Aí surgiu o nome Duo Gourmet (risos) que no início a gente ficou até “será será será?”. Ficamos inseguro num primeiro momento, na dúvida se estava muito trava língua… Mas no fim das contas foi ótimo. Já que todo mundo adora e pegou fácil… virou até mais Duo. 

Carol: como foi a aceitação do Duo Gourmet no começo, pelos restaurantes? 

Nilson: Num primeiro momento não foi tão fácil quanto a gente imaginou que seria. Na primeira edição, visitamos por volta de uns 45 restaurantes e 22 toparam. Foi metade só. 

Laura: A gente tinha colocado uma data limite para o lançamento então tinha ali um número mínimo para lançar a primeira edição, que eram vinte restaurantes. Tínhamos uma data também, que era em meados de agosto. Como era semestral, que fosse lançada no início do semestre para valer até dezembro e permanecer assim, de forma recorrente. 

Nilson: E o legal é que, desses 23 restaurantes que a gente visitou e que não toparam na primeira edição, entraram em contato com a gente querendo participar na segunda edição. Alguns donos que tinham até mais de uma casa e falaram “quero entrar só com uma para testar”. Mas o movimento foi tão bom, a repercussão, os clientes usando, o movimento que gerou nos restaurantes… que a maioria quis entrar na outra edição. Foi bastante satisfatório.

Carol: E por parte dos clientes?

Laura: Assim, é engraçado, porque eu acho que a adesão foi até mais fácil do que a gente imaginava, por parte dos clientes. A primeira edição do Duo foi muito positiva. Lógico, fizemos várias estratégias de divulgação… E eu acho que, como já tinha um projeto similar, as pessoas tinham um pouquinho dessa cultura. Vamos dizer assim: antes tinha uma coisa que era uma projeto institucional que a pessoa não sabia quando ela poderia usufruir desse benefício. A partir do momento em que surgiu o Duo Gourmet, a pessoa tem a possibilidade de comprar e ter aquele benefício sempre que ela quiser. Então talvez essa primeira barreira tenha sido quebrada com mais facilidade. 

Nilson: Mas mesmo assim foi difícil criar a cultura de compra. Até porque, igual Laura falou, mesmo já tendo esse programa de fidelidade dessa agência, a pessoa só tinha acesso se ela viajasse, aí ela ganhava. 

Ninguém saía falando assim “ah, vou comprar o guia que tem os melhores restaurantes e vai me dar um prato de cortesia neles”. Tivemos que fazer um investimento grande no início. E até hoje… Para a pessoa entender que não tem pegadinha, que não é um site de compra coletiva, não é nenhum desses outros modelos… E que pode confiar que ela vai ter uma experiência boa. As pessoas têm mesmo é que testar, dar a oportunidade.

 

DuoGourmet

Carol: Como foi o crescimento do Duo Gourmet ao longo desses anos?

Laura: Duo surgiu em 2013, com a primeira edição do guia impresso em Belo Horizonte. Em 2015, começamos na segunda cidade que foi Recife… Aí aos pouquinhos a gente foi abrindo em outras praças. Primeiro foi Recife, depois Maceió, depois Ribeirão Preto e Fortaleza. Em 2018 a gente começou com o aplicativo. Mais recentemente, abrimos os serviços nas capitais do Rio de Janeiro e São Paulo.

Carol: Quais foram os momentos mais marcantes para vocês durante esse percurso?

Nilson: Um acontecimento muito marcante lá de trás, do iniciozinho, foi quando a primeira boneca (teste de impressão) ficou pronta. Aprovamos ela e foi para gráfica, ficou pronto o produto, e aí a gente… pô, agora tem que vender né. Como vamos fazer isso? 

To querendo chegar no momento em que a gente falou “vamos usar?”. Fomos num restaurante, olhamos para o lado e tinha uma pessoa também usando o Duo. Esse foi um dos momentos mais marcantes para mim. 

Laura: O primeiro cliente que não era amigo nem família… (risos).

Nilson: O negócio deve estar funcionando mesmo. (risos).

Nilson: No nosso primeiro aniversário de namoro, estávamos fazendo panfletagem pro Duo. (risos). Encontramos com um casal de amigos na rua e eles “uai, não era aniversário de namoro hoje?”. É sim, é assim que a gente comemora, panfletando (risos). 

Laura: Acho que uma coisa muito marcante também foi quando recebemos um email de um restaurante, que era de muita referência aqui em Belo Horizonte, parabenizando pelo projeto. Falando que “nossa eu não esperava que gerasse tanto burburinho no mercado de gastronomia”. Enfim, a opinião dele era muito importante para gente na época, foi bem legal. 

Nilson: Outro fato marcante também foi quando comparecemos em um evento de marketing. Estávamos com a camisa do Duo e duas pessoas diferentes nos abordaram no evento agradecendo, falando assim: “Vocês são do Duo Gourmet, parabéns, obrigado pelo projeto! Comecei a conhecer um tanto de restaurante que eu não conhecia…” Falando que o Duo era muito importante e que era uma marca love branding, uma marca muito amada. 

Laura: Voltando na época do início, também foi muito marcante a segunda edição. Querendo ou não a primeira teve uma adesão legal, mas fizemos muita parceira, muita permuta, muita coisa para colocar a guia em circulação. 

Nesse momento era o desafio de criar a cultura de uso e fazer com que a pessoa conhecesse a marca. Então a segunda edição, que a gente ia fechar um pouco a torneira, era um pouco incerto.

Assim, essa demanda dos restaurantes procurarem pelo Duo, fez a gente entender que a primeira edição foi bem feita, e que precisávamos dar continuidade para gerar sustentabilidade ao negócio. 

Nilson: Além disso aí tem o aplicativo, o primeiro dia que ele foi para o ar… Assim, começamos a ver os cadastros entrando e vendo que o modelo daria certo, que foi uma reinvenção… O lançamento de cada cidade nova também é um momento super marcante.

Laura: É… e eu acho que o marcante mais recente foi o evento que a gente fez com os Duo Lovers. Em resumo, convidamos os quinze usuários mais ativos daqui de Belo Horizonte para ter a chance de conhecer um pouquinho quem são nossos clientes. Assim, foi um resultado super positivo. Pois as pessoas realmente veem o Duo como um aliado no dia a dia delas. Foi legal ver que outras pessoas, não sendo a gente, tem um carinho enorme pela marca, pelo produto… Que de fato usam, que de fato defendem, divulgam… Conhecer essas pessoas foi super especial. Queremos repetir (risos). 

Carol: Como é a experiência de vocês com o produto?

Laura: Ó… Não é porque é nosso não, mas eu amo.

Nilson: (risos). A gente só sai com o Duo Gourmet. Não tem nem jeito. Saímos quatro vezes por mês, quando não é duas vezes por semana… 

Laura: Exatamente. A gente usa para caramba… Primeiro, a gente adora comer e beber com amigos, nós dois, e achamos que é uma das coisas mais prazerosas da vida. E segundo, ter algo que te beneficia nesse processo é melhor ainda. 

Assim, o Duo acaba permitindo que a gente possa ir mais vezes. Pois a economia é real. Então de cara, você economiza, sei lá, 60-70 reais numa ida. É como se permitisse você ir mais uma vez. Eu amo o produto. Amo. Se eu não fosse dona do Duo eu super assinaria e usaria. 

Nilson: Eu acho que meu casamento está tão bom por causa do Duo. 

Laura: (risos). Com certeza. Ele tem uma influência muito positiva. Pois uma coisa que eu acho bem legal e que faz toda diferença é o fato de sermos usuários ativos do produto. Ajuda a identificar a possibilidade de melhorias. Tanto no produto quanto na operação. Nos restaurantes, nos treinamentos do restaurante parceiro, para os garçons, da brigada toda. As vezes tem alguns insights, faltou isso, podia ter aquilo… então assim, o fato da gente usar muito ajuda muito a gente a ter novas ideias e também a corrigir erros. 

Carol: Quais são os planos para o futuro do Duo? 

Nilson: Temos vários planos. Mas o Duo nunca para, é uma empresa que está sempre inquieta, pensando no que pode ser melhorado, no que vai ser a próxima tendência, o que pode incrementar o produto, o que podemos contribuir com o segmento da gastronomia, que é onde a gente atua… 

Com certeza vamos continuar abrindo novas cidades, expandir a operação nas praças que já estamos, principalmente Rio de Janeiro  e São Paulo… A gente vislumbra muito a melhoria do produto em si. Então deve ter novas funcionalidades no aplicativo para melhorar a experiência do usuário, a percepção de valor dele. 

Melhoria também na parte de gestão do restaurante, onde entendemos que é um dos pilares do Duo junto com os clientes. Então, fornecer uma inteligência cada vez mais assertiva, para gestão e melhoria do processo, da retenção e aquisição de novos clientes por parte do restaurante também. 

Laura: Eu acredito muito na filosofia que a gente usa atualmente que é a ganha, ganha, ganha. Todo mundo que participa do Duo, de alguma forma, sai ganhando. Ele é bom para o cliente, porque ele passa a ter uma economia, um benefício, para poder ir e frequentar os melhores restaurantes da cidade. Ele é bom para o restaurante parceiro porque, querendo ou não, é como se fosse um investimento em marketing: ajuda a atrair novos clientes, a divulgar a marca, a manter clientes atuais também. E é bom para a empresa. Todo mundo sai ganhando: o Duo, o cliente e o restaurante.  

Acredito que estamos no caminho certo e precisamos continuar. Ter a possibilidade de crescer e expandir mas sempre tendo atenção por todas as pontas, sabe? Eu acho que o Duo tem um potencial gigantesco.

Carol: Por que o Duo Gourmet é especial? 

Nilson: O que motivou a gente, além de ter tido o insight por causa dessa agência de turismo foi que, “poxa, a gente gosta de gastronomia!”. Queremos saber quais são os restaurantes bons e ter acesso a eles. Vemos essa “dor” do nosso lado, porque isso não é uma dor para outras pessoas e porque não podemos ajudar nisso? 

E se a gente ajuda as pessoas, a gente ajuda os restaurantes, porque vamos gerar movimento para eles. É o ganha ganha. Então assim… o que fez com que saísse só da ideia, da vontade de fazer, foi ver o valor que tinha para gente e o valor que conseguiríamos entregar para todo um ecossistema.

A proposta de ser um ganha ganha ganha e ser o catalisador disso… Por isso queremos que todo mundo use o Duo. Pela vivência vemos que não é tão caro assim ir nesses restaurantes e que a experiência é diferenciada. Com o Duo da para ir mais de uma vez no mês, não só em momentos especiais… 

Laura: E uma coisa que é legal também, e até nesse evento de Duo Lovers nos deixou mais assertivos disso. Pois muitas vezes as pessoas gostam do Duo não só por ele entregar o benefício mas por ele ser um guia dos melhores restaurantes. 

Assim, temos o diferencial de o guia ser só para restaurantes convidados, esse cuidado de ter uma curadoria em cada cidade para fazer o convite para esses restaurantes… Portanto, a atenção com ambiente, atendimento e prato, são os quesitos que a gente julga serem mais importantes. Muita gente falava “poxa, o tanto de restaurante que eu passei a conhecer por conta do Duo Gourmet não é brincadeira”. 

Principalmente aqui em BH, as pessoas são muito tradicionais. Então, se vai em um restaurante, vai nele pelo resto da vida e esquece que tem um leque de possibilidades além daquilo. O Duo Gourmet possibilita às pessoas abrir um pouco a cabeça para novas experiências. 

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *