Categorias

Aproveite o post

Curiosidades

Saiba mais sobre as PANC – Plantas alimentícias não convencionais 

Saiba mais sobre as PANC – Plantas alimentícias não convencionais
Unsplash

A sigla PANC tem sido a palavra do momento, mas realmente o que ela significa? As PANCs são plantas que podemos comer, mas que não são convencionais, seja por sua produção ou comercialização não difundidas.

Ou seja, são plantas que podem fazer parte de nossa alimentação diária, mas acabamos por não consumi-las. As plantas que consumimos diariamente, como a couve, por exemplo, não são uma PANC, isso porque é uma planta convencional e comum.

O termo “alimentícias” diz respeito a elas poderem ser usadas na alimentação. São as verduras, as hortaliças, frutas, castanhas, cereais e, inclusive, condimentos e corantes naturais.

Mas esse termo é por muitas vezes parcial, pois uma planta que é convencional para você, pode não ser para mim. Vamos a um exemplo: o ora pro nobis é uma planta muito conhecida e consumida em Minas Gerais, mas, desconhecida na Bahia; ou seja, para os mineiros ela será comum, já para os baianos, uma PANC, uma planta comestível, mas não comum.

Os principais pontos que fazem delas incomuns são a falta de conhecimento, de plantio e de comercialização. Isso ocorre muito pelas culturas e tradições que vêm sendo perdidas. Muitas plantas antes conhecidas e muito consumidas, hoje, estão caindo no esquecimento.

Diante disso, o termo “não convencionais” vem do fato de não serem amplamente produzidas e comercializadas, como dissemos anteriormente.

Contudo, voltar a se alimentar dessas plantas e propiciar a disseminação delas é muito importante para que não percamos a cultura alimentar e o benefício a saúde que muitas delas trazem, ainda mais em tempos onde se começa a ser falado mais seriamente em escassez de alimentos.

 

A importância da PANC

O interessante das PANCs é conhecer e valorizar as plantas em seus territórios de origem, em vez de importarmos plantas de lugares distantes. Várias regiões do país possuem suas próprias PANCs, sejam elas nativas ou vindas de outros lugares, já há muito tempo.

Algumas PANCs possuem formas de cultivo específicas que devem ser observadas para seu plantio. Algumas delas crescem em lugares com pouca insolação, ou em solos considerados não férteis, secos ou úmidos demais.

Sendo esse, também, um ótimo pretexto para serem cultivadas em terrenos abandonados, que muitas vezes eram considerados improdutivos, e que agora passam a serem utilizados pelas PANCs. Por serem também sazonais, podem ajudar na diversificação, trazendo uma maior oferta de alimentos por todo o ano.

 

Surpresa de sabores

Você pode se encantar pelo sabor de uma PANC, basta ter o desejo para o novo, para experimentações. Elas podem incrementar e abrir um leque enorme de receitas, além de trazer mais saúde e variedade para sua alimentação.

Sobretudo, para o meio ambiente, produzir PANCs significa valorizar e fortalecer a biodiversidade local e sem grandes custos.

 

As PANCs são apenas mato ou plantas que nascem sozinhas?

Você pode estar se perguntando agora como normalmente elas se proliferam. Muitas delas crescem como mato mesmo, e outras, precisam de maior cultivo.

Exemplo de algumas, que talvez você até conheça, e que crescem sem ser necessário plantá-las: a serralha, a beldroega, o picão e o caruru.

Essa é apenas uma pequena parte de plantas que crescem espontaneamente e podem ser consumidas. Algumas não espontâneas e que podem ser cultivadas são: as verduras asiáticas, as hortaliças africanas e alguns legumes europeus.

Mas todo mato é PANC? Não necessariamente, muitas plantas que nascem sozinhas não podem ser consumidas, algumas até possuem toxinas nocivas a nossa saúde.

Já outras são medicinais que não podem ser consumidas e, por isso, não são consideradas PANCs, mas podem ser utilizadas no tratamento de doenças e machucados, por exemplo. E as demais são apenas abrigo ou alimentos para os animais.

 

Toda PANC é um mato ou vai para a salada?

Na verdade, apenas uma parte das PANCs nascem sozinhas como o mato. Elas podem ir para uma salada ou cozido e, muitas outras para além disso, são raízes, cereais, castanhas, temperos, legumes e frutas.

O principal mito que deve ser quebrado é que todas elas são amargas ou ruins. Existem várias formas de consumi-las e podem gerar deliciosas receitas.

Mas é verdade também que algumas são um tanto quanto amargas, mas há quem goste, como o dente-de-leão, o pincel-de-estudante e o radite, que são parentes da escarola, da catalonha e do almeirão.

 

Como consumir as PANCs?

Cada uma das plantas possui sua forma de consumo e que, inclusive, pode variar de região para região, assim como de gosto para gosto. Mas de forma geral, podemos classificar três formas básicas de preparo:

1- Consumidas in natura: Cruas, depois de lavadas, sejam em saladas ou em sucos.

2 -Processadas: Que podem ser secas, trituradas e etc.

3- Cozidas: É uma necessidade para que fiquem próprias para o consumo, como é com a batata-doce, por exemplo, que não é uma PANC, mas que precisa de cozimento para ser consumida.

Algumas precisam passar por esse processo também, por causa das substâncias indesejadas, chamadas de anti-nutrientes, que são destruídas com o calor do cozimento, deixando o alimento seguro para o consumo. Portanto, recomenda-se que a água do cozimento seja descartada. Além disso, deixam as PANCs mais macias e saborosas.

Acima de tudo, lembre-se que inovar na cozinha é sempre uma diversão muito saborosa. Você pode usar alguma PANC como ingrediente principal, ou apenas para incrementar alguma receita.

Vale tudo, o que não vale é deixar essas plantas no esquecimento. E se você for dos mais tradicionais, também vale valorizar a cultura e consumir como os antigos ensinavam.

 

Onde colher as PANCs

Não é muito recomendado colher plantas comestíveis em qualquer lugar, como nas ruas e calçadas, por exemplo. Isso porque, podem estar muito sujas e tóxicas, por causa da poluição dos carros.

Você poderá comprá-las em feiras orgânicas, ou mesmo pedir da casa daquele seu vizinho que cultiva, ou tem, ou mesmo de terrenos com muita vegetação e sem poluição por perto. Mas muito legal seria se você animasse e começasse a cultivar algumas em sua própria casa, que tal?;)

Existe também a dúvida se toda PANC é ou não orgânica. Isso depende muito do local onde ela foi cultivada, pois mesmo que não tenha sido usado nela algum agrotóxico, pode ter recebido isso de plantações próximas.

Mas o interessante é que a maioria das PANCs são resistentes a pragas e crescem saudáveis naturalmente. Mais um incentivo para você cultivá-las!

Ao cultivá-las e consumi-las você fortalecerá esse movimento tão poderoso e importante da alimentação saudável e orgânica, além de adquirir benefícios para sua saúde. Contudo, antes de cultivá-las e consumi-las procure saber melhor sobre cada uma.

Nem todas podem fazer parte de um suco verde sem terem sido cozidas, outras precisam ter suas sementes descartadas e etc. Cada uma com sua peculiaridade, algumas possuem folhas tóxicas, mas o fruto não. Fique atento e aproveite a PANC próxima de você!

E então, conta pra gente se gostou de conhecer as PANCs e seus benefícios para a saúde e a biodiversidade. E conta também qual planta comestível deixou de ser uma PANC para você.

 

Depois deste assunto muito interessante e útil, que tal conhecer alimentos que aumentam sua energia?

 

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *